saúde

Cabelo do bebê: Mitos e Verdades

Cabelo do bebê: Mitos e Verdades

JOHNSON’S® esclarece dúvidas sobre o cabelo dos pequenos

O nascimento do bebê é um momento especial. Os cuidados com o novo membro da família são essenciais para garantir o bom desenvolvimento do bebê , inclusive no que se refere ao couro cabeludo e o cabelinho dele.

Muitos nascem “carequinhas”, outros com poucos fios. Assim, é importante dar atenção especial à cabeça dos pequenos, que têm couro cabeludo mais sensível, fios mais finos, que não crescem tanto e estão em constante mudança. Espessura e comprimento aumentam significativamente somente a partir dos dois ou três primeiros anos. Neste momento, as diferenças de cabelo começam a aparecer.

O tema “cabelo de bebê” é cercado de mitos e verdades. Por isso, JOHNSON’S®, especialista em cuidados com a pele e os cabelos do bebê há mais de 120 anos, esclarece dúvidas comuns e ajuda mães, pais e cuidadores a garantirem a boa saúde capilar dos nenéns. A pediatra Dra. Sabrina Battistella* comentou os mitos e verdades sobre o cabelo dos bebês:

Pouco cabelo no bebê significa que quando ele virar adulto será careca.
MITO.
Logo após o nascimento, no geral, os bebês apresentam uma baixa densidade de fios capilares. Ou seja, é comum que os bebês sejam “carequinhas” ou que percam fios ao longo dos primeiros meses de vida e que depois a quantidade de cabelo vá aumentando progressivamente conforme a criança vai crescendo. Portanto, pouco cabelo no bebê não é sinônimo de cabelo fraco no futuro.

Posso usar meu shampoo/condicionador adulto no meu bebê.
MITO.
O ideal é que em cabeça de bebê, só o que é feito para bebê. Todos os produtos utilizados na higiene devem suprir às necessidades da faixa etária que o bebê se encontra. Ou seja, ser indicado para uso diário, hipoalergênico e não arder a região dos olhos. Deve também trazer ingredientes suaves e com pH compatível com a pele e cabelo da criança, a fim de minimizar surgimento de reações alérgicas e ressecamento do couro cabeludo.

Raspar a cabeça do bebê faz o cabelo dele nascer mais forte.
MITO.
O fio cresce a partir do folículo, que fica abaixo do couro cabeludo e não é afetado pelo que fazemos na superfície da cabeça. “Para um cabelo forte e saudável deve-se ficar atento aos cuidados com o couro cabeludo do bebê, que envolvem os hábitos de higiene e proteção”, afirma Dra. Sabrina.

Bebês não precisam lavar a cabeça todos os dias.
VERDADE.
Bebês ficam pouco expostos à sujeira. Por isso, lavar o cabelo uma ou duas vezes por semana é suficiente, com exceção dos dias de calor que ocasionam bastante suor. Entretanto, não há problema algum em lavar o cabelo do bebê diariamente.

Não pode passar condicionar em bebê.
MITO.
A maioria dos bebês até um ou dois anos de idade não precisa de condicionador, já que possuem pouco cabelo. Mas há exceções, pois pode acontecer de um bebê ter densidade capilar maior. Cada mãe conhece seu filho e consegue avaliar o que é melhor para ele. Desta forma, um sabonete líquido que limpe da cabeça aos pés já cumpre a função de higiene completa do bebê até 1 ano com pouco cabelo, mas outros produtos específicos que garantam integridade do couro cabeludo e dos fios podem trazer benefícios adicionais, como shampoos e condicionadores. “Desde que o produto seja indicado para a faixa etária do bebê e a mãe observe a necessidade de utiliza-lo, não existe problema”, afirma a pediatra. O condicionar ajuda a desembaraçar e hidratar o cabelo do bebê e seu uso deve ser feito de forma moderada e somente na pontinha dos fios.

Deixar o bebê dormir de cabelo molhado faz mal.
VERDADE.
Mesmo os bebês pequenos tendo menos densidade capilar, os fios podem ficar ainda mais suscetíveis a quebrar e cair quando molhados. O cabelo úmido e abafado pode facilitar a proliferação de fungos e bactérias. Se o bebê dormir com o cabelo molhado muitas vezes consecutivas, isso pode facilitar o aparecimento de caspa e descamação no couro cabeludo que não seca direito. “A dica é sempre lavar o cabelo do bebê pela manhã” conclui Battistella.

É comum que o cabelo do bebê caia nas primeiras semanas.
VERDADE.
É normal os bebês perderem o cabelo nos primeiros seis meses. Isso acontece porque o ciclo capilar tem três fases: crescimento, repouso e queda. Nos recém-nascidos, todos os folículos capilares entram no período de repouso ao mesmo tempo. Essa calvície gradativa normalmente é atribuída a fatores hormonais. O bebê também pode ter falhas no couro cabeludo (principalmente atrás da cabeça) por dormir na mesma posição, ou por preferir virar o pescoço para um lado só quando está deitado. À medida que ele começa a se movimentar mais, principalmente quando começa a sentar, esse tipo de falha desaparece. Quando a fase de queda passa e o cabelinho novo começa a nascer, ele pode vir numa cor totalmente diferente, e com outra textura também.

Descamação do couro cabeludo nos recém-nascidos não é comum e é algo sério a ser tratado.
MITO. Nas primeiras semanas de vida, é comum que os recém-nascidos e bebês apresentem uma descamação no couro cabeludo, é a chamada dermatite seborreica. Especialistas acreditam que a dermatite aconteça em decorrência de mudanças hormonais, que estimulam as glândulas sebáceas da pele. É algo que incomoda, mas geralmente desaparece em algumas semanas ou meses. Para auxiliar na limpeza e remoção das casquinhas, os especialistas recomendam a aplicação do óleo alguns minutos antes do banho para que, durante o banho e com o uso de sabonete líquido, essa remoção ocorra de forma mais fácil.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply