saúde

7 dicas para manter a saúde dos ouvidos em dia

Saúde dos ouvidos infantil.  Aqui 7 dicas para manter a saúde dos ouvidos em dia

Considere os fones bem colocados dentro da orelha pra assistir ao vídeo do Youtube. Ou então aqueles coloridos, grandes e nada discretos (que voltaram dos anos 1980 com tudo!), pra ouvir às músicas da banda preferida. Não importa o objetivo, o fato é que estamos – todos, adultos e crianças – cada vez mais fechados no nosso próprio mundo e com o som cada vez mais alto, blindando tudo que vem de fora. E além da questão do convívio social envolvida aí, tem um ponto importante que a gente só lembra quando se torna um problema: a audição. Cuidar bem dos ouvidos deve começar na infância e isso é responsabilidade nossa, mas vai muito além dos fones. Veja 7 dicas de como ajudar seu filho a preservar a audição.

1-   Nunca use bastonetes

Talvez você já tenha ouvido isso, mas provavelmente achou estranho e não acreditou. Normal! Depois de tantos anos usando os bastonetes na rotina de higiene, ouvir essa recomendação causa estranhamento mesmo. A fonoaudióloga Andréa Varalta explica por que você não deve tentar “limpar” as orelhas. “Os bastonetes não devem ser usados no conduto auditivo, pois empurram a cera ao invés de retirá-las. Além disso, a orelha possui movimentos peristálticos de expulsão da cera sem o auxílio de nenhum acessório”.

2-   Procure um médico

Se a falta de limpeza com bastonetes deixar seus ouvidos com muita cera, talvez seja a hora de procurar um especialista em vez de tentar limpá-los de qualquer jeito. “Em caso de produção excessiva de cera, é recomendado procurar um otorrino para remover o excesso”, destaca Andréa, lembrando que a cera tem uma função muito importante, já que impede que qualquer sujeira entre na orelha.

3-   Controle o volume

Isso não é implicância dos nossos avós. Fones de ouvido podem prejudicar a audição, sim. “É necessário manter um cuidado redobrado com os fones, pois a intensidade elevada pode levar a um trauma acústico ou até a uma perda auditiva temporária ou permanente”, explica a fonoaudióloga. Além disso, eles podem ser condutores de bactérias e causar patologias que, se não tratadas corretamente, levam a danos irreversíveis à audição.

4-   Cuidado com as piscinas

Nadar é uma das coisas mais gostosas da vida – e as crianças amam, claro! Mas é importante ficar atento às condições da água, independentemente da sua temperatura.  Sobre esse assunto, o otorrinolaringologista Rogério Bandos esclarece: “Todas as piscinas podem causar infecções (aquecidas ou não), que geralmente são as otites externas. Quando há tratamento adequado da água, o risco é menor, porém ele ainda existe”.

5-   Trate as doenças corretamente

Infecções de garganta, como faringites ou amidalites, podem evoluir para os ouvidos, já que são áreas adjacentes. Por isso, devem ser tratadas corretamente e até o fim pra que não evoluam pra uma otite, laringite ou rinosinusite. E como ninguém quer ver o filho doente, é bom seguir à risca as orientações médicas.

6-   Controle o barulho

Em casa, procure observar o nível de ruído dos brinquedos das crianças, principalmente das que ainda são pequenas. “Bebês suportam a mesma intensidade de som que adultos, mas como eles nascem com uma audição mais aguçada, correm mais risco quando a intensidade é maior”, lembra Andréa.

7-      Não introduza objetos no ouvido

Pode parecer besteira lembrar isso, mas pode acreditar, não é exagero! Você já deve ter visto algum adulto cutucando a orelha com algum objeto qualquer, ou então tentando tirar algum brinquedinho que a criança colocou lá dentro. Mexer no ouvido não é brincadeira e qualquer ato nesse sentido deve ser feito por um médico.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply