Convidados, criança

10 passos para brincar com um adulto

A Estefi Machado ensina os pequenos a interagirem com nós, pais e adultos. Ou seja, a brincar junto. Sabe aquela vontade que a criança tem de brincar com um adulto, mas não sabe como chamá-lo? Ou atraí-lo. Porque as vezes é a gente que acha a brincadeira sem graça e não vai. Mas aqui tem 10 truques bons de fazer a gente sentar no chão e brincar junto. Então vamos lá.

1. A primeira dica é:
Nunca chegue para o adulto pulando e gritando a frase “QUER BRINCAR COMIGO?”
Isso pode causar certa ansiedade e desconforto, e ele pode travar no início do que poderia ser uma potencial brincadeira.
Há frases mais sutis para conseguir isso, como por exemplo: “VEM VER UMA COISA AQUI NO MEU QUARTO”, ou “OLHA O QUE EU INVENTEI HOJE NO TAPETE DA SALA!”. Dessa maneira você atrai o adulto para o local da brincadeira naturalmente.

2. Estando no local da brincadeira, arrume um jeito de manter o adulto no seu patamar. Se estiver no chão, faça com que ele sente, se estiver numa mesa, não deixe que ele fique em pé apenas observando.
Dessa maneira ele se sente parte da cena.
Outra coisa importante: nessa fase os adultos precisam ter uma função. Mantenha suas mãos ocupadas com giz de cera ou blocos de montar e faça com que sua participação seja importante na brincadeira, assim ele se sente confiante e imprescindível!
Vale usar palavras de incentivo para que ele saiba que está conseguindo!

3. Uma vez com as mãos ocupadas, certifique-se de afastar todos os objetos perigosos do ambiente.
Adultos são altamente dispersos, e tendem a levar tudo que é aparelhinho retangular e luminoso para a boca, ouvidos e principalmente para a ponta dos dedos!
Pode parecer cuidado excessivo, mas as maiores tragédias com adultos acontecem em segundos, você se distrai e quando vê, já perdeu pro celular!
Para evitar acidentes, mantenha os objetos perigosos em lugares onde não possam ser alcançados, o que deve ser feito de forma discreta, para evitar um estresse desnecessário.

4. Durante a brincadeira mantenha sempre o contato físico com o adulto. O toque, beijos e abraços reforçam a importância dele ali.
Mas se você sentir um clima de cansaço no ar, lembre-se de NÃO fazer contato visual! O adulto é sedutor, ele vai tentar lançar um olharzinho de gato de botas e você pode cair na dele!

5. Se a brincadeira for longa, certifique-se de que o adulto esteja bem alimentado. Um adulto com fome pode ficar altamente irritado e abandonar a brincadeira!
Se for preciso, faça uma pausa para um lanche, mas lembre-se de acompanha-lo, ou ele poderá iniciar outra atividade no caminho! Lembre-se, os adultos são dispersos, mas não fazem por mal, é da natureza deles!

6. Uma regra muito importante, vital: NUNCA, JAMAIS acorde um adulto para brincar! Um adulto com sono é pior do que dois com fome.
Na hora você vai achar bom que ele acordou pra ficar com você, mas logo depois vai ver que as horas de mau-humor irritadiço e falta de energia não valem a pena!

7. É importante também saber que todo adulto tem e deve ter sua rotina.
É dessa forma que ele se sente seguro, pertencedor de um lugar.
Não é aconselhável estimulá-lo quando ele estiver no meio de suas atividades vitais, como por exemplo lendo jornal, vendo jogo na TV, fazendo cocô ou conversando com suas tias no telefone!

8. Quando você perceber que o adulto já se entregou ao momento da brincadeira, proponha algo que você saiba que ele realmente goste!
Não adianta chamar sua tia pra brincar de Hot Wheels ou seu padrinho pra fazer penteados na Barbie, você pode gastar fichas à toa!

9. Outra coisa que poucos filhos de primeira viagem sabem é que os adultos gostam de conversar! Sim! E muito!
E você pode falar de igual pra igual com eles, apesar de não saberem muito bem como se expressar, eles já conseguem entender certas palavras com clareza!
Conte sobre seu dia, a escola, a pracinha, os amigos, a babá, isso reforça os vínculos entre vocês, criando cumplicidade.
Não importa se ele não entender tudo que você disser, ele está ouvindo!

10. E por fim, tenha paciência!
Os adultos estão aprendendo, e faz parte do processo errar muitas vezes.
No começo é difícil, mas fazendo da brincadeira parte da rotina, quando você menos esperar, ele mesmo vai dar seus primeiros passinhos trêmulos em direção ao tapete da sala e vai balbuciar docemente: “QUER BRINCAR COMIGO?”

* Estéfi Machado é autora do blog www.estefimachado.com.br , mãe de um filho de primeira viagem, o Teo, e terceira filha de uma viagem de 5, por isso sabe muito bem como brincar.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply